Seis por três

Eu ainda vejo você e estou aqui todo o tempo
Mas não consigo mais te ter nesse jogo torto
Que eu não sei jogar

Você ainda está em mim como ninguém jamais esteve
Mas eu nunca realmente estive nesse seu olhar breve
De quem não sabe enxergar

Queria poder te dizer que sinto falta de tudo
Mas esse tudo é tão vazio e amiúdo
Que não sei como falar

Sinto saudades do que éramos
Antes de não mais descobrirmos
O que nos contar

Mas seus cabelos acobreados ainda
Rimam com meu cantar arranhado
E meu jeito de tocar

E eu sei que antes do adeus um dia você foi meu
E o que gostaria de te perguntar é:
Por que não eu?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s